4 de outubro de 2021

Luís Correia - Secretária Municipal de Saúde manifesta posicionamento a respeito da família que dormiu do lado de fora do Hospital N.S. da Conceição

    Na manhã da última sexta-feira, 01, a secretária municipal de saúde Marcela Furtado ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores para levar a público o posicionamento da prefeitura de Luís Correia a respeito do caso ocorrido no dia 23 de setembro, onde uma mãe com duas crianças, oriunda da comunidade Fernando, zona rural de Luís Correia, expôs um vídeo e mensagens em rede social mostrando suas filhas dormindo do lado de fora do Hospital Nossa Senhora da Conceição após atendimento.médico.

Secretária Municipal de Saúde, Marcela Furtado.

    Em sua fala, Marcela Furtado disse o seguinte:

    "Iniciamos sobre o atendimento que houve no dia 23 de setembro, onde uma fotografia foi amplamente divulgada nas redes sociais em relação ao atendimento realizado a uma família na noite do 23. Consta que, eu tenho aqui os prontuários que são é sigilosos, mas a família pode requerer, assim como eu enquanto gestora da Saúde, que o quer que houve naquela noite. Foi requerida a ambulância, naquela noite a ambulância da zona rural estava em manutenção e nós disponibilizamos já a mais de dez horas da noite, é, a, o transporte dessa família para o hospital municipal. A localidade fica muito distante, localidade Fernando. Só o transporte de ir e vir durou cerca de duas horas. Ao chegar na unidade de saúde a família foi, recebeu toda a conduta médica do atendimento e as duas crianças o médico solicitou que ficasse em observação. Foi a primeira negativa da família foi que essa aqui permanecessem em observação. Quando terminou o atendimento já era por volta das duas horas da manhã. Nós, como é de praxi do hospital por segurança, tanto do paciente, como do condutor do veículo, é uma normativa que nós institucionalizamos no nosso hospital que depois de meia noite pacientes de alta médica hospitalar irão aguardar o amanhecer do dia disponibilizando enfermaria com leitos e café da manhã, para na primeira hora do dia, seis horas da manhã, esses pacientes retornem com segurança para sua, para zona rural. E foi isso que foi orientado e está institucionalizado no hospital. Quando terminou o atendimento, como eu já disse, as duas horas da manhã, foi ofertado a enfermaria com os leitos para a família, se recusaram, disseram que não iam esperar, inclusive começaram a fazer os registros fotográficos quando colocaram as crianças no banco de fora do hospital. Infelizmente essas coisas vêm acontecer porque a gente não tem como, é, descrever. Porque todo atendimento foi formalizado, por várias vezes a equipe de saúde do hospital solicitou a família que ficasse no quarto aguardando o amanhecer do dia, só faltava três horas para chegar as seis horas da manhã e ainda assim foi negado pela própria família o atendimento humanizado que nós disponibilizamos", concluiu a secretária a respeito do caso em questão. 

Roderico Júnior, do Portal Luís Correia.

Mais visitadas