20 de março de 2019

Prazo para inscrição no Exame de Proficiência encerra segunda (25)


As inscrições para o Exame de Proficiência em Língua Estrangeira (Inglês e Francês), promovido pelo Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), encerram na segunda-feira (25).


Segundo o coordenador do CCHL, Omar Albornoz, o Exame de Proficiência se faz importante por ser requisito para ingressar em mestrados e doutorados no Brasil. “O Exame tem como finalidade avaliar a capacidade de compreensão e leitura em língua estrangeira (Inglês e Francês) do candidato que pretende obter a Declaração de Proficiência de Leitura em Língua Estrangeira, válida apenas em território nacional, emitida pela UESPI”, pontua.

As inscrições custam R$ 80,00 (oitenta reais) para cada Exame de Proficiência e são realizadas no CCHL, do Campus Poeta Torquato Neto, de 8h às 12h, exceto ao final de semana. O pagamento da taxa de inscrição deve ser depositado na Conta Corrente n° 107.499-7 Agência n° 1640-3, Banco do Brasil, da Fundação Delta do Parnaíba (FUNDELTA). Após isso, o comprovante de pagamento deve ser entregue no ato da inscrição.

Documentos para inscrição:

I- Ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada e impressa conforme
formulário disponível no Anexo I do Edital;
II – Cópia do Diploma de Graduação e Registro de Identidade (RG) e do Cadastro de Pessoa Física (CPF), acompanhados dos originais para conferência ou declaração de que está devidamente matriculado nos últimos períodos da graduação;
III – Comprovante original do pagamento da taxa de inscrição no processo de seleção.

O Exame de Proficiência de Leitura em Língua Estrangeira constará de prova escrita e será realizado no dia 01 de abril, às 8:30 min (início) às 12:30 (término), no Campus Poeta Torquato Neto, nas dependências a serem divulgadas na quinta-feira (28), pelo CCHL. O resultado do Exame será divulgado no dia 4 de abril.

Fonte: UESPI.

Curso de Pedagogia promove evento sobre educação humanizada como prevenção da depressão e suicídio


A Coordenação do Curso de Pedagogia do Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, em Picos, por meio da Coordenadora, Prof. Ma. Isabel Cristina de Aguiar Orquiz, e dos professores Antonio de Moura Fé e Joselma Gomes dos Santos Silva; promovem no dia 22 de março, o evento "Educação humanizada como prevenção da depressão e suicídio.



Viver ainda é a melhor opção!", com o intuito de estabelecer sobre essa temática de grande relevância social, parâmetro de identificação, abordagem e atuações de intervenção em relação à sociedade que passa por tal problemática.
Fonte: Universidade Federal do Piauí.

River recebe Altos nesta quarta (20), no Albertão


Confronto é válido ainda pela segunda rodada do estadual.


Hoje (20) a bola rola no Albertão para River e Altos. O jogo – atrasado da segunda rodada do Campeonato Piauiense Kaiser 2019 por conta da participação do Jacaré na Copa do Nordeste – está marcado para as 20h e poderá deixar o River ainda mais isolado na liderança do estadual.

Buscando o apoio da torcida, o Galo Carijó vai iniciar a venda de ingressos para o clássico às 9h desta quarta-feira, com promoção para as mulheres: as torcedoras vão pagar apenas R$ 10,00 nos ingressos de qualquer setor do estádio. Já para os demais torcedores, os tickets vão custar R$ 30,00 nas cadeiras e R$ 20,00 na arquibancada do placar, os dois setores com meia-entrada. A venda dos ingressos será nas bilheterias do Estádio Albertão. 

Já classificado para a próxima fase, o Galo Carijó tem hoje 17 pontos. Também garantido no mata-mata, o Altos é o terceiro colocado do estadual, com 14 pontos. O jogo desta quarta-feira será o último antes da rodada decisiva do estadual. Flamengo, Parnahyba e Piauí ainda estão na briga pela última vaga nas semifinais.

Fonte: Federação de Futebol do Piauí.

Moro pede ao Congresso que se debruce em pacote anticrime


Ao participar do lançamento da Frente Parlamentar da Segurança Pública no Salão Negro da Câmara dos Deputados, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu hoje (20) ao Congresso Nacional que se debruce no projeto de lei anticrime.


“É um projeto importante, é uma questão urgente. Acho que os eventos que ocorreram este ano, especialmente [os ataques] no Ceará, acendem uma luz amarela de que a questão da segurança pública é algo que tem que ser tratado com a devida celeridade, porque as ameaças são cada vez maiores. E o projeto caminha nessa área endurecendo o tratamento para crimes mais graves, destravando nossa legislação e criando mecanismos para melhor investigação”, afirmou Moro.

Perguntado se será possível o pacote anticrime tramitar junto com a proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, o ministro disse que tem conversado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre o tema.

“Na minha avaliação, isso pode tramitar em conjunto, não haveria maiores problemas. Mas vamos conversar, estamos abertos ao diálogo. Evidentemente, as decisões relativas ao Congresso pertencem ao Congresso”, afirmou Moro. “O desejo do governo era de que o projeto fosse encaminhado logo às comissões, mas isso vai ser conversado respeitosamente com o deputado Rodrigo Maia”.

A Frente Parlamentar da Segurança Pública tem mais de 300 integrantes e será coordenada pelo deputado Capitão Augusto (PR-SP). O pacote anticrime do governo federal é uma das pautas do grupo.
Viagem aos EUA

Moro também comentou a viagem aos Estados Unidos em que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro. Segundo ele, a contratação do uso da base de Alcântara pelos EUA vai trazer “recursos importantes” ao Brasil.

No âmbito da segurança pública, o ministro disse que foram assinados acordos entre o FBI e a Polícia Federal brasileira para troca de informações. Com o Departamento de Segurança Interna dos EUA, foi definida cooperação no âmbito de controle de fronteiras. “Na área de segurança, os interesses são muito convergentes. Há um compromisso de ambos os países de defender a democracia contra as diversas ameaças como terrorismo, crime organizado, tráfico de drogas. Temos muito a aprender.”

Fonte: Agência Brasil.

Brasil e EUA selam “aliança promissora” em Washington


Presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump tiveram reunião ontem (19) na Casa Branca.


Os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump tiveram encontro privado no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, seguido de almoço de trabalho Unidos na tarde desta terça-feira (19) e declaração conjunta à imprensa. Juntos, ressaltaram uma perspectiva promissora de crescimento nas relações bilaterais e no comércio entre os dois países. “Mais uma vez expresso o meu reconhecimento ao presidente Trump neste dia em que selamos aliança promissora entre as duas maiores democracias do ocidente”, declarou o presidente Bolsonaro.

Os Estados Unidos declararam apoio ao Brasil para ingresso na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). “O apoio americano ao ingresso do Brasil na OCDE será entendido como um gesto de reconhecimento que marcará ainda mais a união que buscamos”, declarou o presidente brasileiro, em declaração à imprensa, depois da reunião.

Donald Trump disse que pretende “designar o Brasil como um aliado” fora e dentro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) — organização militar comum de defesa, com 28 países-membros.

Jair Bolsonaro agradeceu a “calorosa hospitalidade” recebida em sua primeira visita bilateral e fez um convite ao presidente norte-americano para também visitar o Brasil. “Sempre fui um admirador dos EUA e essa admiração aumentou com a chegada do presidente Trump à presidência. Agora, este nosso encontro abre um capítulo inédito na parceria entre os dois países”, sublinhou.

Bolsonaro acrescentou que as reformas que estão sendo implementadas no Brasil, o transformarão em um “parceiro ainda mais atraente”. A isenção de visto que o Brasil acaba de anunciar, segundo Bolsonaro, também ajudará a estimular o turismo e mais negócios no País.

Segundo o presidente brasileiro, o Brasil continua fazendo negócios com o maior número de países possíveis, “apenas esse comércio não mais será direcionado pelo viés ideológico”.

Venezuela

A Venezuela também estava na pauta do encontro. “O restabelecimento da democracia na Venezuela, é de interesse comum dos nossos governos”, afirmou Jair Bolsonaro.

Ainda em declaração à imprensa com o presidente Trump, Bolsonaro afirmou que o Brasil está a postos para ajudar a levar democracia à Venezuela. “Hoje o povo passa fome, sofre violência, sofre com falta de medicamentos. Uma coisa terrível que acontece lá e nós temos de somar esforços sim, para botar um ponto final nessa questão que é ultrajante para o mundo todo”, acrescentou.

Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos agradeceu a visita do presidente brasileiro, com quem disse ter feito uma “excelente reunião” e assinalou que os povos dos Estados Unidos e do Brasil estão unidos por valores comuns, além de constituírem duas das maiores democracias do Ocidente. O presidente norte-americano disse que Bolsonaro é “um líder extraordinário”, por ser um aliado na luta contra o socialismo no mundo e por ajudar os EUA nos esforços para tentar levar a democracia de volta à Venezuela.

Visita EUA

O presidente brasileiro chegou aos Estados Unidos no último domingo (17) para sua primeira visita oficial ao país. Bolsonaro se hospedou na Blair House, residência que o governo norte-americano reserva para chefes de Estado em visitas oficiais. Hoje, o presidente também colocou flores no túmulo do soldado desconhecido, no Cemitério Nacional de Arlington.


Fonte: Planalto.

Superlua poderá ser vista hoje nas américas do Sul e Norte


A lua vai parecer maior hoje (20) na América do Sul e Norte, segundo a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa) dos Estados Unidos. É a chamada “superlua”. Será a terceira do ano, as anteriores puderam ser vistas em 19 de fevereiro e 21 de janeiro.


O fenômeno é possível porque a Terra e a Lua se alinham, criando um eclipse lunar total. A lua cheia estará no ponto mais próximo da Terra em sua órbita, chamada de perigeu.

No perigeu, a lua parece um pouco maior e mais brilhante da nossa perspectiva na Terra, daí a referência como "superlua", segundo a Nasa. O melhor horário para observar o fenômeno será a partir das 22h.

Fonte: Agência Brasil.

Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos


Edital de Chamamento foi publicado nesta segunda-feira no Diário Oficial. Empresas têm 30 dias para manifestarem interesse para os estudos dos três blocos de aeroportos. 


O Ministério da Infraestrutura publicou, nesta segunda-feira (18), no Diário Oficial da União, o Edital de Chamamento Público de Estudos para a sexta rodada de concessões de aeroportos, incluindo três blocos: Sul, Norte e Central. A chamada pública é voltada para empresas e consórcios interessados em elaborar os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) para os 22 aeroportos. O prazo para manifestarem interesse é de 30 dias. 

Os consórcios habilitados deverão apresentar os projetos, levantamentos, investigações e estudos técnicos para subsidiar a modelagem das concessões dos 22 aeroportos. Além disso, as empresas terão que desenvolver os estudos de mercado, de engenharia e ambientais. Também é necessário apresentar uma avaliação econômico-financeira de cada aeroporto e um consolidado para cada bloco. 

Blocos aeroportuários 

O Bloco Sul é composto por nove aeroportos, são eles: Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Bacacheri, no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; e Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul. Neste cenário, a empresa que apresentar o melhor EVTEA poderá ser ressarcida pelo futuro concessionário em até R$ 34,4 milhões. 

Já o Bloco Norte é formado por Manaus, Tabatinga e Tefé, no Amazonas; Rio Branco e Cruzeiro do Sul, no Acre; Porto Velho (RO) e Boa Vista (RR), totalizando sete terminais. Para este bloco, o valor máximo de ressarcimento pelo melhor EVTEA e de R$ 27,2 milhões, a ser pago pelo vencedor do leilão. 

Os seis aeroportos que compõe o Bloco Central são: Goiânia (GO), Palmas (TO), Teresina (PI), Petrolina (PE), São Luís e Imperatriz, no Maranhão. O consórcio que apresentar o melhor EVTEA para esses terminais poderá ser ressarcido em até R$ 25,3 milhões, também a ser pago pelo futuro operador. 

O prazo final para a elaboração e apresentação dos projetos e estudos técnicos ao ministério será de 150 dias para todos os três blocos aeroportuários, contados da data da publicação do termo de autorização. 

Etapas 

Esta é a primeira fase do processo de concessão dos aeroportos, iniciado com o desenvolvimento e seleção dos estudos técnicos preparatórios que irão subsidiar a modelagem de uma nova concessão dos blocos. Em seguida, a Secretaria Nacional de Aviação Civil e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) elaboram as minutas de edital e contrato, que serão postas em audiência pública pela agência reguladora para recebimento de contribuições. 

Após o período de consulta pública, os estudos e todos os documentos são encaminhados ao Tribunal de Contas da União (TCU) para análise e aprovação. Com a publicação do Acórdão de Corte de Contas, são feitos os ajustes no edital e contrato, que serão publicados. O prazo estimado entre a publicação do edital e o leilão é 100 dias.

Fonte: Programa de Parcerias de Investimentos

Brasil e Estados Unidos assinam acordos de cooperação em segurança


O Ministério da Justiça e Segurança Pública assinou acordos de cooperação institucional com a Agência Federal de Investigações (FBI) e o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (Homeland Security – DHS) para o compartilhamento de informações sobre a atuação de grupos criminosos e terroristas.


Os acordos foram assinados pelo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, durante a visita da comitiva brasileira que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro em viagem aos Estados Unidos – encerrada ontem (19). Segundo a pasta, a iniciativa visa ao combate conjunto ao crime organizado transnacional, intensificando cooperação já existente entre os dois países.

Os textos assinados ainda não foram divulgados, mas, de acordo com o Ministério da Justiça, o acordo com o FBI prevê a troca de informações que permitam identificar as impressões digitais em investigações criminais. Com o acordo, as respectivas autoridades do sistema jurídico poderão fornecer informações identificadoras de impressões digitais obtidas legalmente.

Já o termo de cooperação firmado com o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos permite o intercâmbio de oficiais em programas desenvolvidos pelos países, principalmente para facilitar a troca de informações sobre ameaças nas fronteiras do Brasil e dos Estados Unidos.

Reuniões

Ainda durante a viagem, o ministro Sergio Moro se reuniu com autoridades como a secretária do Departamento de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen; com o ministro da Justiça norte-americano, William Barr, e com o diretor do FBI, Christopher A. Wray – além de participar do jantar organizado pelo embaixador brasileiro em Washington, Sérgio Amaral, para o qual foram convidados acadêmicos norte-americanos e formadores de opinião.

Moro aproveitou os encontros para falar sobre o projeto de lei anticrime que o governo federal enviou ao Congresso Nacional, propondo mudanças em várias leis como forma de combater a corrupção, crimes violentos e facções criminosas.

Também foram mencionadas a atuação de organizações criminosas no Brasil e as medidas de enfrentamento já adotadas pelo Estado, como a recente transferência de líderes de organizações criminosas para presídios federais de segurança máxima, e a importância da adesão do Brasil à Convenção de Budapeste, tratado internacional firmado no âmbito do Conselho da Europa para definir os crimes praticados por meio da Internet.

Além do ministro Sergio Moro, acompanharam o presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional); Ernesto Araújo (Relações Exteriores); Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia); Paulo Guedes (Economia); Tereza Cristina (Agricultura) e o porta-voz Otávio do Rêgo Barros, além de outras autoridades.

Fonte: Agência Brasil.

19 de março de 2019

Seturcej discute alavancamento turístico em reunião com os municípios do Polo do Delta


A Secretaria de Turismo Esporte e Juventude de Luís Correia, representada pelo secretário Jean Clausius e pelo coordenador de Turismo, Paulo Henrique, participou na última sexta-feira (15) da reunião do Polo Turístico do Delta para tratar sobre o alavancamento do Turismo nos municípios conciliados. O encontro ocorreu no auditório da Polícia Militar.Seturcej discute alavancamento turístico em reunião com os municípios do Polo do Delta.




A pauta central do encontro abordou uma série de esclarecimentos a respeito dos aspectos exigidos pelo governo federal ao repasse de verbas para as prefeituras em questão. Nela foi discutida também ações em favor dos profissionais de hotéis, pousadas, bares e restaurantes visando o aprimoramento dos serviços prestados e por consequência o aumento de turistas na região litorânea.

“A reunião do Polo Turístico do Delta vem a ser de suma importância a todos os municípios integrados, sobretudo à cidade de Luís Correia. Nela encontramos mais recursos informativos no que concerne a viabilidade de capitação de verbas federais para o nosso município. Para isso é necessário a concretização do conselho municipal, bem como a concepção do Cadastur para que a partir daí estejamos respaldados a creditar os repasses federais”, disse Paulo Henrique, coordenador de Turismo de Luís Correia.

O encontro tem por finalidade debater os questionamentos apresentados pelos municípios, levando informações que viabilizem maior potencialização deste setor no litoral piauiense. Fazem parte do Polo Turístico do Delta, as cidades: Luís Correia, Parnaíba, Ilha Grade, Cajueiro da Praia, Bom Princípio e Buriti dos Lopes.

Secretaria Municipal de Pesca e Aquicultura - SEPESCA.
Assessoria de Imprensa do Gabinete do Prefeito - Assimp/PMLC.

Mourão defende abertura da economia ‘lenta, gradual e segura'


"Enquanto não reformarmos o sistema tributário, será um massacre para a nossa produção local", ressaltou o presidente em exercício durante encontro com empresários.


O Presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, afirmou que a abertura da economia brasileira precisa ser 'lenta, gradual e segura' e vinculada à aprovação de uma reforma tributária, para que o País possa voltar a crescer. A declaração foi feita nesta terça-feira, durante almoço-palestra organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) em Brasília.

"Temos que abrir a economia para o comércio mundial, mas essa abertura tem que ser lenta, gradual e segura, porque enquanto não reformarmos o sistema tributário, será um massacre para a nossa produção local. Não teremos formas de competir", ressaltou Mourão.

O Presidente em exercício assinalou que, atualmente, o sistema tributário brasileiro é "caótico". " Não sabemos o que temos que pagar. É uma carga pesada. Está na faixa de 34%, 35% do PIB. Temos que baixar isso para 20%, 22%. Todo mundo tem que estar na base pagadora. Todo mundo vai pagar, mas vai pagar menos ", declarou Mourão.

Durante o encontro, Hamilton Mourão também defendeu a aprovação do projeto da Nova Previdência — que, segundo ele, poderá ocorrer no início do segundo semestre —, a privatização “de tudo o que tiver que ser privatizado” e a reforma do sistema educacional.

Fonte: Planalto.

Para CNI, apoio dos EUA acelera entrada do Brasil na OCDE


Ao lado de Bolsonaro, Trump diz que apoiará Brasil na organização


O apoio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é decisivo para a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para os empresários, o ingresso na organização vai acelerar o processo de reformas estruturais e aperfeiçoar a qualidade regulatória do país, condições necessárias para melhorar o ambiente de negócios e promover o crescimento econômico.

“O Brasil avançou muito na convergência de políticas para participar da OCDE. É o país não-membro com a maior adesão aos instrumentos da organização – já aderiu a cerca de 30% dos instrumentos que envolvem, por exemplo, comércio, tributação e governança. Além disso, o governo brasileiro está comprometido com as reformas da previdência e reconhece a importância da reforma tributária”, disse a gerente de Política Comercial da CNI, Constanza Negri.

Em declaração conjunta hoje (19), na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ao lado do presidente Jair Bolsonaro que apoiará o ingresso do Brasil na OCDE.

Em maio de 2017, o Brasil encaminhou a solicitação para fazer parte da OCDE. Se o pedido for aceito, o país terá de assumir compromissos com impactos significativos na economia e na indústria. De acordo com a CNI, entre os benefícios estão a melhoria do ambiente regulatório, a modernização institucional, o aprimoramento da governança e a convergência às melhores práticas internacionais.

Estudos da CNI mostram que a adesão do Brasil se concentra em cinco áreas investimentos internacionais e empresas multinacionais, investimentos, competição, assuntos fiscais e anticorrupção.

O Brasil também participa de 23 comitês, órgãos e iniciativas vinculados à OCDE, o maior número entre os países não membros.

Fonte: Agência Brasil.