domingo, 16 de dezembro de 2018

Abertura do Natal Luz 2018 de Luís Correia reúne grande público no Paço Municipal

Com o intuito de reacender o espírito natalino nos corações das famílias luís-correienses, mantendo o compromisso da renovação cristã, dos laços afetivos e do encanto lúdico do público infantil, realizou-se na noite da última segunda-feira (10/12) a abertura de mais uma versão do Natal Luz de Luís Correia. O evento ocorreu no paço municipal contando com a presença de um grande público espectador e com várias atrações natalinas, dentre elas a presença do “Papai Noel”.






Com uma decoração peculiar, rústica e repleta de luminárias, o entorno da prefeitura foi ocupado por dezenas de famílias que prestigiaram uma das mais belas aberturas do Natal Luz do município. Muitas premiações, homenagens e uma série de exibições natalinas foram oferecidas ao público durante a celebração. A Banda 26 de Julho foi a primeira a se apresentar.



As famílias presentes foram agraciadas também com os espetáculos promovidos por três distintos corais infantis oriundos respectivamente da Igreja Batista, da U.E. Pinheiro Machado, e o coral do Serviço de Convivência do CRAS. A programação oficial seguiu com o canto da jovem Iara Costa e com a apresentação em Libras dos alunos das escolas do município. O ponto culminante das atratividades natalinas ficou por conta da chegada do Papai Noel que logo foi cercado pela criançada, dando sequência a uma série de fotografias com cada uma delas.





O Natal Luz 2018 também foi palco de premiação. O prefeito Kim do Caranguejo garantiu doze tablets a serem doados individualmente aos melhores alunos da rede municipal de ensino, como forma de incentivo ao desenvolvimento intelectual do público em questão. A entrega dos prêmios ficou por conta dos convidados, a exemplo do recém empossado vereador Wilton Veras, de professores, secretários municipais, vice-prefeita, primeira-dama e do próprio prefeito. “Comprei doze tablets para que pudesse premiar àquelas crianças que mais se desenvolveram em 2018. É um incentivo para que os jovens possam estudar cada vez mais”, afirmou Kim do Caranguejo.



Um ponto muito importante no evento foi a integração das secretarias, isso fez com que vários setores da instituição se unissem facilitando assim a realização o Natal Luz de 2018, em Luís Correia. Diante disso, observa-se a representatividade feminina fazendo a diferença nos eventos da prefeitura. Isto posto, vale ressaltar as presenças da primeira-dama Eulília Galeno, da vice-prefeita Maninha Fontenele, de Ana Cecília (Secretária Municipal de Desenvolvimento Social), de Mariana Brito (Secretária Municipal de Obras) e da chefe de gabinete Aneliza Brito; além da professora Marilene Sipaúba, representando o quadro docente de Luís Correia. Todas elas representam também Maria, a grande mãe imaculada, àquela que concebeu em seu ventre o ator principal desta celebração; Jesus Cristo, o filho de Deus.





O prefeito Kim do Caranguejo finalizou com um agradecimento especial a todos que ali se fizeram presentes, “Quero agradecer a todos vocês que aqui prestigiam mais um ano de homenagem ao nascimento do nosso senhor Jesus Cristo. Permitam-me agradecer também as incansáveis equipes de trabalho que não mediram esforços, nem muito menos pouparam suor, para fazer com que o Natal Luz 2018 tocasse os corações do povo de Luís Correia. Que Jesus Cristo permaneça em vossos corações. Feliz Natal! Que Deus vos abençoe”, pontou.









Assessoria de Imprensa do Gabinete do Prefeito – ASSIMP/PMLC.

Exportações de cafés especiais crescem 27,16% em 11 meses


As exportações e cafés brasileiros especiais dispararam 27,16% entre janeiro e novembro de 2018. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com esse desempenho, o Brasil chegou a vendas de 5,6 milhões de sacas de 60 quilos.

Foto: Marcos Giesteira/CNA
Com esse resultado, o volume exportado em 11 meses gerou US$ 1 bilhão em vendas – o preço médio da saca ficou em US$ 178,98. Comparado aos cafés verdes, esse preço é 33,9% maior. A Embrapa explicou ainda que esses cafés sãos os considerados de qualidade superior ou com algum tipo de certificado de práticas sustentáveis.

Até novembro, as vendas totais de café para o exterior somaram 31,376 milhões de sacas, preço médio de US$ 145,13 e receita de US$ 4,5 bilhões. Apenas no mês passado, o País vendeu 3,6 milhões de sacas.

Fonte: Embrapa

Homem é morto a pauladas em Parnaíba


Uma patrulha da Policia Militar coordenada pelo sargento Marcos Sérgio foi acionada por volta das 5h da manhã, deste sábado(15), para atender uma ocorrência de homicídio na Vila Fausto Basto, no Bairro Nova Parnaíba. 



Ao chegar no local, a polícia encontrou o corpo de um rapaz ainda sem identificação com a cabeça toda ensanguento



Fonte: Portal do Catita

Base Nacional Comum Curricular está completa


etapa do ensino médio da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi homologada nesta sexta-feira (14) pelo ministro da Educação, Rossieli Soares. Com isso, a BNCC da educação básica no Brasil está completa, e todas as etapas já possuem definição dos conteúdos que todos os alunos têm o direito de aprender no decorrer do percurso escolar. O documento soma-se às etapas da educação infantil e do ensino fundamental, homologadas em dezembro de 2017.


A partir de agora, os currículos deverão estar estruturados até junho de 2019. Entre julho e setembro, haverá consultas públicas regionais nos estados. Os novos documentos deverão ser analisados e aprovados pelos conselhos estaduais de educação entre outubro e dezembro, para serem aplicados a partir do início do ano letivo de 2020.

Durante a solenidade, realizada no Conselho Nacional de Educação (CNE), em Brasília, o ministro anunciou a liberação de R$ 58 milhões aos estados e ao Distrito Federal, por meio do Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC) do Ensino Médio, para que comecem o processo de implementação dessa etapa.

Na ocasião, ele também lançou o Portal Novo Ensino Médio, que reúne informações sobre todas as políticas e ações que têm sido organizadas pelo MEC nesse período e que estão à disposição dos gestores e da comunidade em geral.

Para a secretária de Educação Básica do MEC, Kátia Smole, o foco está na continuidade de um trabalho conjunto entre os estados e o MEC. “O ensino médio como um todo vai exigir bastante da sociedade, dos educadores. Chegamos aqui com um documento robusto que precisa virar currículo, ação afirmativa junto aos estados e instituições formadoras. O Brasil avançou em educação nos últimos anos de jeito maduro, trazendo estados e municípios para junto do Ministério da Educação”, afirmou.

Sobre a Base

A BNCC do Ensino Médio foi entregue pelo MEC ao CNE em abril de 2018 e a aprovação no colegiado ocorreu em 5 de dezembro. O texto homologado foi aprimorado com as contribuições dos segmentos sociais, secretarias e conselhos estaduais de educação, gestores escolares, professores e alunos. As alterações buscaram dar maior clareza ao documento, tanto em relação às competências e habilidades, quanto a aspectos como a progressão de aprendizagem, projeto de vida, trabalho e mundo digital.

Com o objetivo de alinhamento à Base, deverá ser implementada a Política Nacional de Formação de Professores e revisados o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Fonte: Ministério da Educação

Parnaibana Juliana Diniz conquista o Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo


O Clube Parnaibano de Tiro gostaria de parabenizar a atleta Juliana Diniz pela sua mais nova conquista, o Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo 2018 na modalidade Carabina Mira Aberta de Ar.



Fruto da sua dedicação incansável nos treinos e durante todo o campeonato.

A final do Campeonato Brasileiro aconteceu entre os dias 21 a 25 de novembro no Centro Olímpico de Tiro no Rio de Janeiro e reuniu quase 1000 atletas de todo o Brasil. 



Juliana também conquistou a Prata na Carabina Mira Aberta Calibre Menor Custom e o Bronze na Carabina Mira Aberta Calibre Menor Sporter.

LUIZ HENRIQUE - CARIOCA
PRESIDENTE DO CPT

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Justiça Federal recebe denúncia contra Lula por lavagem de dinheiro


A Justiça Federal recebeu hoje (14) denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na qual se tornou réu por lavagem de dinheiro porque teria recebido R$ 1 milhão do grupo brasileiro ARG. Os valores teriam sido dissimulados na forma de doação ao Instituto Lula.

De acordo com o MPF, o pagamento teria sido feito depois que o ex-presidente influiu em decisões do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, as quais resultaram na ampliação dos negócios da empresa no país africano. A denúncia foi apresentada em novembro pela Força Tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo.

“A abertura de uma nova ação penal contra Lula com base em acusação frívola e desprovida de suporte probatório mínimo é mais um passo da perseguição que vem sendo praticada contra o ex-presidente com o objetivo de impedir sua atuação política por meio da má utilização das leis e dos procedimentos jurídicos (lawfare)”, disse, em nota, o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.

Também responderá ao processo o controlador do grupo ARG, Rodolfo Giannetti Geo, que foi denunciado por lavagem de dinheiro e tráfico de influência em transação comercial internacional. Os fatos, segundo a denúncia, ocorreram entre setembro de 2011 e junho de 2012. Como Lula tem mais de 70 anos, o crime de tráfico de influência prescreveu em relação a ele, mas não para o empresário.

Denúncia

O MPF se baseou em e-mails encontrados após busca e apreensão realizada no Instituto Lula em março de 2016 durante a Operação Aletheia, 24ª fase da Operação Lava Jato de Curitiba. Segundo o MPF, o ex-ministro do Desenvolvimento do governo Lula Miguel Jorge comunicou à Clara Ant, diretora do Instituto Lula, que o ex-presidente havia dito a ele que gostaria de falar com Geo sobre o trabalho da ARG na Guiné Equatorial. Segundo o ex-ministro informava no e-mail, a empresa estava disposta a fazer uma contribuição financeira ao Instituto Lula.

Em maio de 2012, Geo encaminhou para Clara Ant, por e-mail, uma carta digitalizada de Teodoro Obiang para Lula e pediu que fosse agendada uma data para encontrar o ex-presidente e lhe entregar a original. Geo disse também que voltaria à Guiné Equatorial em 20 de maio e que gostaria de levar a resposta de Lula a Obiang.

O ex-presidente escreveu uma carta a Obiang, datada de 21 de maio de 2012, em que mencionava um telefonema entre ambos e sua crença no fato de que a Guiné Equatorial poderia ingressar, futuramente, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. No mesmo documento, Lula informava que Rodolfo Geo dirigia a ARG, “empresa que já desde 2007 se familiarizou com a Guiné Equatorial, destacando-se na construção de estradas”. A carta foi entregue em mãos a Obiang pelo empresário.

“A denúncia não aponta qualquer ato concreto praticado por Lula que pudesse configurar a prática de lavagem de dinheiro ou tráfico de influência”, disse a defesa de Lula.

O MPF juntou à denúncia o registro da transferência bancária de R$ 1 milhão da ARG ao Instituto Lula em 18 de junho de 2012. Recibo emitido pela instituição na mesma data e também apreendido na entidade registra a doação do valor. No entanto, o MPF avalia que foi um pagamento de vantagem a Lula por influência ao presidente de outro país. A doação seria uma dissimulação da origem do dinheiro ilícito, segundo a denúncia, o que configuraria crime de lavagem de dinheiro.

A defesa de Lula nega a acusação. “A doação questionada foi dirigida ao Instituto Lula, que não se confunde com a pessoa do ex-presidente. Além disso, trata-se de doação lícita, contabilizada e declarada às autoridades, feita por mera liberalidade pelo doador”, diz o advogado de Lula.

Fonte: Agência Brasil

Unesp expulsa 27 estudantes por fraude no sistema de cotas raciais


A Universidade Estadual Paulista (Unesp) expulsou 27 alunos por fraude no sistema de cotas raciais. A decisão foi tomada após abertura de processo de verificação, garantido o direito à ampla defesa dos estudantes. Os expulsos estudavam em diversas faculdades em diferentes cidades.

Imagem ilustrativa
A Unesp passou a adotar reserva de vagas a partir de 2014. Atualmente, metade das vagas abertas pelo vestibular são disputadas somente por alunos vindos de escola pública. Dentro desse percentual, 35% são destinadas a alunos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas.



A universidade instituiu em julho de 2017 uma comissão para avaliar as declarações raciais feitas durante a inscrição para o vestibular. Pela resolução, não existe um prazo para verificar se as informações prestadas pelo candidato são verdadeiras. O procedimento pode ser instaurado tanto por iniciativa própria da instituição como por denúncias.

Denúncias

Diversas instituições com o sistema de cotas têm enfrentando nos últimos anos denúncias de ingresso de candidatos que não se enquadram nos critérios raciais. Na Universidade Federal Fluminense (UFF), a partir de recomendação do Ministério Público Federal, foi criada uma comissão de conferência das declarações. O grupo rejeitou ao longo do ano passado 14% das matrículas dos 1.274 alunos declarados pretos, pardos ou indígenas, rejeitando 162 postulantes.

Também a partir de recomendação do MPF, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) criou o Comitê Permanente de Controle para Acesso à Reserva de Cotas. O grupo foi restabelecido depois de denúncias dos estudantes em março de 2016.

Fonte: Agência Brasil